Arquivo do blog

sábado, 23 de setembro de 2017


Azul eu te amo!

A vejo em habitar dos ma
res que inunda a face da ter-
ra, profundo ,mas alcançá-
vel e o comparo a olho, que
é essa imensidão calma, a-
zul. Porém em você o assoa-
lho não se move por preten
dida questão, no entanto é
mais e sim por mistério, mal
entendidos e até besteiras
As bestas, ficam em seu pé
mergulhado fundo almejo-ti
A cada explorador, esbarra
nas águas quentes e por lá
ficam, até ai. Mas nas fossas 
profundas que também há em
seus traços os mais faciais, é
somente a quem é natural de
ti, a você por venturas natural
sortida, a você pode e vai te
conhecer, animais marinhos.


Algumas rinhas de cães
quando estão em facções
famintos atacam a si mes
mo,o que não acontece a
ratos e araras que juntas
pela vida inteira se criticam
Assim, como cães as abrem
a roda e se moem araras
podem passar uma vida in
teira junta discutindo rela
ção, filhos, debitos concei
tos e ainda assim juntas
não se separam, como os
ratos ou civilizações de ou
tras especies a mais corrom
pem-se em si por si mesmas
temos cães e ratos sendo ca
çados embora araras sejam
proibidas,e para cães se dão
os pães engordam e se matam
e os ratos vivem de tudo,Cães
ratos e aves o que mais me ir
rita é saber que cães inexpli
cavelmente ainda são, é o
melhor amigo do homem en
quanto araras selvagens e
ratos por desvios de conduta
ou tem uma ninhada respecti
vamente criam seus filhos e
os soltam até arranjarem um
novo par e se formar um casal

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Achei sua imagem perdida
em um sobretudo com frames
de uma imagem ultrapassada
um quilo em cada junta tu dizes
Depois do apelo ao público em
caracteres, o tempo que gasto rodo
como se ainda fosse um menino em
sua espada com isso sempre indicando
despejado novamente em circuitos homo
fônico de baixo timbre tua voz não escuto
porquanto ainda, na verdade não gravamo
o titubeio de um título induz sua cabeleira
loira, que sempre esteve em virtude enfermo
inconsequente, pra quê títulos se por ser-las
vivas e caminham e andam e mudam sem feira
ou mês, quando te vejo de novo daqui quinze
dez ou cinco na próxima segunda, o dia que eu
preferir não será um belo dia , enquanto isso faço
o que me comete faze-lo por meio da devassidão
do desejo atravesso e te visito e me visto e me volto

domingo, 17 de setembro de 2017

Acredito que esse seja o último poema nessa linha de montagem.Agora usarei outra ferramenta, o power point.
Como disse antes o primeiro livro de poemas tem mais 300 poemas, já o segundo será sem prazo para finalizar então acredito que será menor e mais trabalhado.
A margem em social

O tempo es
paçado com
um encontro
de esquina, a
árvore, de sú
bito à espera
de um voo, o
eco para trás
que volta pri
meiro, assim
como no pri
meiro encon
tro no espaço
o tempo é ínfi
mio doa à quem
doer a capote

sábado, 16 de setembro de 2017

Essa Construção ficou pedante

Ouvir a
Gora ir
No rádio
Mas no
ticia es
Tatica e
De mali
cia brasi
leira uma
Notícia
Com es
Mange
dora es
Polita e
Cavalga

A largos
galopes

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

                              Angélica



Mais uma sentença de morte em pensar em Angélica e seu novo namorico, me tirava o sono alguns vezes pensar nelas me subia pelas pernas alavanco e de súbito a necessidade incontrolável de estar de pés colados aos dela, ela estava longe e nunca se quer disse a verdade, só acenou a cabeça quando disse que ia, e ela foi.